Comissão de Reparação e Direitos Humanos da Câmara fará audiência pública sobre a feira da Marechal

Na próxima quinta-feira, dia 02 de setembro, a partir das 14h, a Comissão Permanente de reparação, direitos humanos, defesa do consumidor e proteção à mulher da Câmara Municipal de Feira de Santana irá realizar uma audiência pública com o tema “A feira da Marechal e o direito ao trabalho”, para discutir os conflitos em torno da feira livre da rua Marechal Deodoro.

A feira, que é uma das mais tradicionais do município, encontra-se atualmente ameaçada de extinção em função das obras de requalificação do centro da cidade, realizadas no âmbito do “Projeto Novo Centro”, por iniciativa da Prefeitura Municipal.

Um projeto alternativo, que prevê a organização e padronização das barracas, aliando a permanência da feira-livre à requalificação da área, foi elaborado a partir das demandas das trabalhadoras e trabalhadores do local e apresentado à Prefeitura na forma de indicação pelo nosso mandato no mês de março. Tal proposta, no entanto, ainda não foi apreciada pelo poder público Municipal. O acolhimento da proposição foi, justamente, a reivindicação apresentada por feirantes da Marechal em mais uma manifestação realizada nesta terça-feira (31), em frente à prefeitura, contra a extinção da feira livre. 

Nesse sentido, a audiência pública buscará justamente promover o debate qualificado sobre o destino da feira livre da rua Marechal Deodoro, garantindo o espaço de escuta para as trabalhadoras e trabalhadores do local, assim como de profissionais do Urbanismo, Economia e História e de representações de secretarias municipais relacionadas ao tema, no sentido de contribuir para a resolução do impasse colocado entre feirantes e a prefeitura.

A audiência será realizada em formato híbrido, com participação presencial das e dos componentes da mesa no Plenário da Câmara e com a participação virtual do público através da plataforma Google Meet, transmitida pelo canal do YouTube da Câmara.

Não deixe de acompanhar e participar desse momento de diálogo estratégico para a construção de soluções para uma demanda popular, ligada à garantia do direito ao trabalho para parcela da população feirense e à preservação da memória e cultura local.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *