Construir um março forte e feminista para derrotar Bolsonaro

A pandemia da covid-19 está há quase um ano espalhando terror e miséria pelo Brasil e pelo mundo. A recente agudização da situação sanitária no nosso país mostra que estamos muito distantes de um desfecho para esta catástrofe humanitária.  A necropolítica genocida de Bolsonaro e seu governo em relação à crise sanitária, econômica, ecológica e social exigem que construamos um polo firme e contundente de oposição, baseado em muita responsabilidade política e senso de justiça social.

Justamente pelo agravamento do cenário nos últimos meses, resultante da política nefasta do governo federal, entendemos que o 8 de Março de 2021 deve ter como centro a luta pelo impeachment de Bolsonaro, medida urgente para a garantia da vida das brasileiras e brasileiros. Somado a isso, temos que levantar as bandeiras da luta em defesa da vida das mulheres, tão impactadas pelo aumento da violência e do feminicídio; a exigência de uma renda básica justa e de vacinação pública e universal para todos.

A violência de Estado segue atravessando as vidas das mulheres negras e das periferias. O desaparecimento forçado, o assassinato de crianças e jovens pelas ações policiais nos territórios e o encarceramento em massa se aprofundam, como parte da política de morte operada pelo governo Bolsonaro. Seguimos em luta pelo desencarceramento e o fim do genocídio do povo negro.

A luta das mulheres é, desde o ELE NÃO em 2018, o estandarte da oposição a este governo de retrocessos. Já naquele momento pautamos o Fora Bolsonaro e será através do movimento feminista que contribuições imprescindíveis para a mobilização nacional pela deposição deste presidente de irresponsabilidade sem precedentes se concretizará. A vitória da luta das mulheres argentinas e sul-coreanas, que recentemente conquistaram a legalização do aborto em seus países, demonstram que o feminismo segue tendo força e devem servir de combustível para nossas lutas no Brasil.

As eleições de 2020 comprovaram que nós seguimos avançando na conquista de mais espaços políticos. No entanto, à medida que mais mulheres, em especial negras, periféricas e LBTs, se propõem a ocupar a política institucional, a violência política recrudesce, ameaçando cada vez mais a democracia e a vida dessas parlamentares e ativistas. Por isso, reafirmar o 14 de março, data em que completamos 3 anos do assassinato de Marielle Franco, como ponto crucial no nosso calendário é indispensável para a luta por justiça e contra a violência política de gênero. A luta das mulheres não será interrompida!

Neste sentido, a setorial nacional de mulheres do PSOL e toda militância feminista do nosso partido devem construir um mês de março com as seguintes prioridades:

  • I) Fora Bolsonaro – impeachment já!
  • II) Pela vida das mulheres, contra as violências institucional, doméstica, contra o feminicídio e todas as formas de opressão do patriarcado;
  • III) Vacina para todas e todos já! – Nós queremos viver;
  • IV) Justiça para Marielle Franco – Quem mandou matar Marielle e Anderson?
  • V) Renda justa – o básico tem que ser permanente: garantir que cada brasileiro e brasileira tenha uma renda mínima para sobreviver;
  • VI) Construção das frentes amplas unitárias convocadas nas cidades, estados e nacionalmente para impulsionar as ações e campanhas pelo 08 de março, Dia Internacional de Luta das Mulheres. Em tempos de necessário distanciamento social, nossa unidade é fundamental para derrotar Bolsonaro;
  • VII) Não seremos interrompidas: contra a violência política de gênero, pelo fortalecimento da defesa da vida de todas as mulheres ativistas e parlamentares;
  • VIII) Em defesa do SUS público e universal e pelo respeito e valorização das trabalhadoras da saúde;
  • IX) Pela garantia dos direitos reprodutivos das mulheres e pela legalização do aborto no Brasil;
  • X) Pelo desencarceramento, o fim do genocídio do povo negro e justiça para as vítimas da violência de Estado.

Executiva Nacional | Setorial de Mulheres do PSOL
Fevereiro de 2021

Assinam: Setorial Nacional de Mulheres do PSOL

Áurea Carolina – Deputada Federal pelo PSOL/MG
Fernanda Melchionna – Deputada Federal pelo PSOL/RS
Luiza Erundina – Deputada Federal pelo PSOL/SP
Sâmia Bomfim – Deputada Federal pelo PSOL/SP
Talíria Petrone – Deputada Federal pelo PSOL/RJ
Vivi Reis – Deputada Federal pelo PSOL/PA

Dani Monteiro – Deputada Estadual pelo PSOL/RJ
Isa Penna – Deputada Estadual pelo PSOL/SP
Jô Cavalcante – Deputada Estadual na Mandata Coletiva Juntas pelo PSOL/PE
Luciana Genro – Deputada Estadual pelo PSOL/RS
Marinor Brito -Deputada Estadual pelo PSOL/ PA
Monica Seixas – Deputada Estadual pelo PSOL/SP
Renata Souza – Deputada Estadual pelo PSOL/RJ

Aline Sérgio – Vereadora de Potengi pelo PSOL/CE
Ana Paula De Melo – Co-vereadora do Mandato Coletivo do PSOL/PR
Anabella Pavão – Vereadora de Batatais pelo PSOL/SP
Bancada Feminista – Mandato Coletivo de São Paulo/SP
Bella Gonçalves – Vereadora de Belo Horizonte pelo PSOL/MG
Benny Briolly – Vereadora de Niterói pelo PSOL/RJ
Camila Valadão – Vereadora de Vitória pelo PSOL/ES
Coletiva Bem Viver – Mandato Coletivo de Santa Catarina pelo PSOL/SC
Dani Portela – Vereadora de Recife pelo PSOL/PE
Débora Alves Camilo – Vereadora de Santos pelo PSOL/SP
Elaine Mineiro – Vereadora da Mandata Coletiva Quilombo Periférico pelo PSOL/SP
Enfermeira Nazaré – Vereadora de Belém pelo PSOL/PA
Erika Hilton – Vereadora de São Paulo pelo PSOL/SP
Fernanda Garcia – Vereadora de Sorocaba pelo PSOL/SP
Fernanda Miranda – Vereadora de Pelotas pelo PSOL/RS
Inês Paz – Vereadora de Mogi das Cruzes pelo PSOL/SP
Iza Lourença – Vereadora de Belo Horizonte pelo PSOL/MG
Josi Kieras – Co-vereadora do Mandato Coletivo de Ponta Grossa pelo PSOL/PR
Juliana da Ativoz – Co-vereadora de Osasco pelo PSOL/SP
Laina Crisóstomo – Vereadora da Mandata Coletiva Pretas por Salvador pelo PSOL/BA
Linda Brasil – Vereadora de Aracaju pelo PSOL/SE
Lívia Duarte – Vereadora de Belém pelo PSOL/ PA
Luana Alves – Vereadora de São Paulo pelo PSOL/SP
Mãedata Thais Ferreira – Vereadora do Rio de Janeiro pelo PSOL/RJ
Mariana Conti – Vereadora de Campinas pelo PSOL/SP
Mônica Benício – Vereadora do Rio de Janeiro/RJ
Mulheres por + Direitos – Mandato coletivo de vereadora de São Caetano pelo PSOL/SP
Professora Madalena – Vereadora de Abaetetuba pelo PSOL/PA
Silvana Hipólito – Vereadora de Janduís pelo PSOL/RN
Tallia Sobral – Vereadora de Juiz de Fora pelo PSOL/MG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *