Prefeitura de Feira de Santana agride professorado e vereadores e chega ao ponto de impedir a saída das pessoas da prefeitura

Professoras, professores, estudantes e profissionais da educação compareceram na Câmara Municipal na manhã desta quinta-feira (31), em manifestação pedindo apoio aos vereadores para tentar ser atendidos pela prefeitura, com o objetivo de dialogar sobre as dificuldades e transtornos que assolam as comunidades escolares municipais.

Em apoio a manifestação, diversos vereadores se dirigiram à prefeitura municipal para fortalecer a causa, considerando que o prefeito Colbert Martins ignora completamente qualquer solicitação de reunião. Ao chegarem ao prédio, manifestantes e até jornalistas foram brutalmente agredidos pela Guarda Municipal à mando do prefeito, bem como atingidos por spray de pimenta, que foi utilizado contra todos os presentes, sem distinção.

Sob ordens de Colbert Martins, a Guarda trancou as portas da prefeitura com professores e estudantes dentro do local, assim como o nosso companheiro Jhonatas e outros membros do mandato, impedindo a saída de todos do espaço até o fim da tarde. A prefeitura assumiu o covarde papel de agredir e tentar impor a qualquer custo seu modo de gestão deficitário e insuficiente com a educação feirense, ignorando as reivindicações que impedem o prosseguimento regular do ano letivo.

No final da tarde a saída do prédio foi liberada, mas os manifestantes decidiram seguir em ocupação, na tentativa de garantir uma audiência com o prefeito. Já durante a noite, após a energia do prédio ter sido cortada e a polícia ter sido chamada ao local, a Guarda Municipal entrou no prédio e agrediu professoras, danificou paredes, atirou cadeiras e usou spray de pimenta mais uma vez, protagonizando um cenário de guerra que foi transmitido ao vivo no perfil de Instagram do nosso mandato.

A manifestação de hoje era a mais recente tentativa de negociação do professorado, dessa vez diretamente com o Prefeito. Mas além de não atender a categoria, este ordenou as ações violentas, jogando mais gasolina na fogueira da educação pública de Feira de Santana, em clara decadência. Ainda na ocupação durante a noite, Jhonatas teve um momento de negociação por telefone com o Secretário de Prevenção à Violência, Moacir Lima dos Santos, na tentativa de garantir a integridade física dos manifestantes diante das ações da Guarda, que resultou na garantia de que esta não entraria mais no prédio.

A ocupação na Prefeitura segue durante a noite, e uma vigília foi organizada em frente ao local. Professores, estudantes, militantes de organizações políticas e simpatizantes da causa estão se somando a essa iniciativa, não apenas como demonstração de apoio para quem segue na ocupação, mas também como forma de garantir coibir novos episódios de violência.

O PSOL Feira e nosso mandato seguem em luta pela educação pública de qualidade, e ao lado das professoras, professores e estudantes, que são quem mais sofrem com a postura criminosa daquele que se diz prefeito do município.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *