PSOL vai às ruas de Feira de Santana exigir retorno do auxílio, vacina já e o impeachment de Bolsonaro e Mourão

Ao lado de movimentações que acontecem hoje por todo o país, o PSOL de Feira de Santana foi às ruas neste domingo (21) exigir o retorno do auxílio emergencial, a criação de uma renda básica, uma política eficiente de vacinação para toda a população, a defesa do SUS e pelo impeachment de Bolsonaro e Mourão.

A carreata, formato possível neste momento ainda de aguda pandemia, se concentrou na Av. Olímpio Vital e percorreu vários bairros do município, entre eles Rua Nova, Jardim Cruzeiro, Sobradinho, Cidade Nova e Mangabeira, dialogando com a população sobre os desafios no enfrentamento à Covid-19 e a este desgoverno que arrasa o país.

Em fala durante o ato, o vereador Jhonatas Monteiro destacou que ir às ruas hoje “significa recuperar um debate de projeto para o Brasil que coloque o povo como prioridade”. Enfatizou ainda que o “Fora Bolsonaro” precisa se materializar também em relação ao que chamou de “bolsonarismo prático”. De acordo com ele, o “senhor Colbert Martins, com a sua política irresponsável de condução da pandemia, que sequer discutiu um auxílio emergencial municipal em um contexto de um munícipio como Feira, marcado por milhares de pessoas que vivem do trabalho informal, conduz como aliado esse bolsonarismo prático”. Para ele, bolsonarista também é aquele que “tem uma conduta política que reforça esse governo de exclusão das pessoas”.

A presidenta municipal do PSOL e ex-candidata à prefeita, Marcela Prest, participou do ato e destacou em suas intervenções a importância de defender a retomada do auxílio emergencial para garantir comida na mesa das pessoas, mas também a vacinação para o conjunto da população feirense, principalmente considerando a realidade das trabalhadoras e trabalhadores informais e profissionais da educação: “É preciso garantir vacina para professoras e professores e o conjunto de trabalhadoras e trabalhadores da educação que estão no chão no escola”. E completou afirmando que “é preciso vacina para que as crianças voltem às escolas”.

O calendário de lutas pelo Fora Bolsonaro continua, e outros atos ainda devem acontecer, organizados pelas frentes Povo Sem Medo e Brasil Popular, e por diversos partidos e organizações de esquerda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *