Salve Mam’etu Kafurengá e a Comunidade Caxuté!

ASCOM Jhonatas Monteiro

CARTA ABERTA EM RECONHECIMENTO À IMPORTÂNCIA DO LEGADO DE MAM’ETU KAFURENGÁ E DA COMUNIDADE CAXUTÉ

Localizada no Sul da Bahia, no município de Valença, e liderada por Mam’etu Kafurengá, a Comunidade Caxuté nos dá a oportunidade de conhecermos a Pedagogia do Terreiro, desenvolvida pela sacerdotisa para que seus filhos e filhas tivessem nos livros e canetas armas para combate ao racismo religioso e as mais diversas formas de opressão.

Através desta carta, nosso mandato gostaria de reconhecer e divulgar a importância da contribuição política e acadêmica do legado de 21 anos de Mam’etu Kafurengá (Maria Balbina dos Santos) na construção de diferentes pedagogias e formas de pensar a escola e os processos de ensino-aprendizagem, seja no campo ou na cidade.

Sobretudo diante do racismo religioso sofrido pela comunidade, reconhecemos e reafirmamos que a Pedagogia do Terreiro, a Primeira Escola de Religião e Cultura de Matriz Africana do Baixo Sul da Bahia, a Biblioteca de Rua da Kitaanda Bantu e o Museu da Costa do Dendê, localizados no Terreiro Caxuté, são referências fundamentais para os povos bantu-indígenas, para os povos tradicionais de terreiro, bem como para as/os professoras/es e estudantes das universidades brasileiras, o que pode ser visto na sua atuação e reconhecimento em diversas partes do Brasil.

Seguimos firmes na luta, buscando coletivamente a superação do racismo e a devida reparação histórica para a população negra do nosso país e para as comunidades de matrizes africanas, inspiradas/os pela força, resistência e exemplo da Comunidade Caxuté e de Mam’etu Kafurengá.

Mandato do Vereador Jhonatas Monteiro

09 de agosto de 2021, Feira de Santana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *