Vereador Jhonatas Monteiro denuncia ameaças recebidas após conflito na Prefeitura de Feira de Santana

Leia a nota do PSOL Feira de Santana sobre o caso:

NOTA DO PSOL DE FEIRA DE SANTANA SOBRE A VIOLÊNCIA POLÍTICA CONTRA O VEREADOR JHONATAS MONTEIRO

Apenas uma semana após a violenta repressão, por parte do governo municipal, às trabalhadoras e trabalhadores da educação de Feira de Santana, vereadores – incluindo nosso companheiro Jhonatas Monteiro – e a um militante do PSOL, somos obrigadas e obrigados a vir novamente a público repudiar a violência contra um dos nossos.

Dessa vez a agressão veio na forma de ameaças à integridade física de Jhonatas e de sua família, em retaliação por sua atuação junto à mobilização pela educação no município. Na última terça-feira (5), Jhonatas recebeu mensagens de celular de um número desconhecido que expunham suas informações pessoais e de seus familiares, acompanhadas de ameaças que faziam referência à sua atuação em defesa dos manifestantes no episódio das agressões praticadas a mando do governo municipal, nos dias 31 de março e 1º de abril.

Nosso mandato na Câmara Municipal tem tido uma atuação combativa em diversas pautas ligadas à garantia de direitos sociais, como saúde, transporte e educação, além da defesa do direito ao trabalho para feirantes, camelôs e ambulantes e a defesa dos povos e comunidades tradicionais e isso incomoda muita gente!

As ameaças são uma tentativa de cerceamento da liberdade política de um parlamentar democraticamente eleito como o vereador mais votado da história de Feira de Santana, e atingem, assim, toda a população feirense. Inserem-se no quadro mais geral de violência política contra defensores de direitos humanos, parlamentares e figuras públicas pertencentes a grupos historicamente oprimidos ou que defendem suas pautas, e devem ser tomadas com muita seriedade.

Medidas estão sendo tomadas para garantir a investigação rigorosa dos fatos e a devida identificação dos culpados. Um Boletim de Ocorrência foi registrado e os comandos das polícias Militar (Comando de Policiamento da Região Leste – CPRL) e Civil (Coordenadoria Regional de Polícia Civil – COORPIN) estão sendo oficiados, bem como o Ministério Público Estadual e o Ministério Público Federal. Também estamos acionando entidades nacionais e internacionais ligadas à defesa dos Direitos Humanos, da liberdade de associação e manifestação e da democracia.

É importante destacar que um número expressivo de parlamentares do PSOL vem sendo alvo de violência política, sobretudo nos últimos anos. Andreia de Jesus Silva, Carolina Iara, Benny Briolly, Camila Valadão, Erika Hilton, Vivi Reis, Karen Santos e Matheus Gomes, em sua maioria pessoas negras ou LGBTQIA+, são apenas alguns dos exemplos de parlamentares do partido que sofreram desde ameaças de morte até disparos contra suas residências, sem falar do caso mais trágico e emblemático, que foi o assassinato da nossa companheira vereadora do Rio de Janeiro, Marielle Franco, em março de 2018, e que até hoje permanece sem solução.

Não nos esquecemos, mas também não nos intimidamos. Aqueles que tentam impedir, inclusive através da força, a ocupação da política institucional pelos setores historicamente oprimidos, saibam que encontrarão resistência! Jhonatas não está sozinho, e seguiremos lutando por vida digna e com direitos garantidos para a população feirense em sua diversidade!

Executiva do PSOL Feira de Santana

07 de abril de 2022


Leia mais: Manifestação pela educação se transforma em cenário de guerra em Feira de Santana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *